Páginas

Coca-cola: a publicidade que parece um clipe musical (e vice-versa)


Aquela nova comunicação de marca, menos invasiva e mais relevante - que sempre comento por aqui - cresce a cada dia e aos poucos vai definindo seus aspectos e sua linguagem. Em geral, tudo o que envolve Branded Content e Branded Entertainment costuma trazer indícios dessa nova comunicação.

Uma característica que está emergindo com força é a aproximação da publicidade com a indústria fonográfica.

Cresce a cada dia o número de filmes publicitários que se parecem mais com um clipe musical do que um comercial de TV. Muitos fazem uso inclusive de ícones da música, como é o caso da campanha de verão 2011 da Coca-Cola, que convidou Pitty, MV Bill e Di Ferrero (NX Zero) para gravarem a música trilha sonora da campanha.

Repare que o filme publicitário abaixo, veiculado nos cinemas, não chega nem mesmo a apresentar o logo da marca Coca-Cola. É arriscado, claro. Provavelmente não se sustenta sozinho, depende de outras peças para fazer com que o público reconheça a conexão com a marca. Mas nesse filme especificamente, o objetivo é fixar o conceito da marca, veja:



Vale citar que tanto a música quanto o clipe são versões brasileiras para o original "Open Happiness", que faz parte da campanha da Coca-cola nos Estados Unidos:




Para completar:
Além da música invadir o ambiente publicitário, o inverso também acontece, motivado principalmente pela crise da indústria fonográfica. O chamado Product Placement é uma alternativa para sustentar um campo fortemente atingido pela era digital do MP3 e da distribuição livre de conteúdo. Tente notar quantas marcas aparecem no clipe Telephone de Lady Gaga:



Posts similares:

- Tihuana é TNT: para quem ainda não entendeu o novo paradigma da comunicação
- Branded Content: agora é a vez dos videoclipes