Páginas

Assistindo o mundo fazer história


Desde minha época de graduação, nos anos 90, sempre me empolgava com a ideia de viver numa época importante para o mundo: a transição de eras e implantação do paradigma digital.

É como diz a banda de uma música só, Jesus Jones: "Right here, right now. There is no other place I want to be. Right here, right now. Watching the world wake up from history".

Lembrei-me dessa música enquanto lia "O Novo Mundo Digital", livro do Ricardo Neves que conheci por conta do projeto "Embaixadores" da plataforma Submarino Digital Club. Quem se interessar, pode até baixar o e-book gratuitamente (por tempo limitado), no site do Submarino Digital Club.

O livro não tem nenhuma pretensão teórica, porém de maneira leve e informal, levanta reflexões importantes. Em determinado momento, ele diz: "Vivemos tempos disruptivos e precisamos nos conscientizar de que transições abruptas estão se configurando...". Definitivamente o mundo não é mais o mesmo. Realmente as transformações são grandes e em diferentes áreas.

O autor desenvolve alguns apontamentos sobre tendências para o futuro. Vou tomar a liberdade de apenas citar alguns, para que você possa ter uma ideia:

- A expectativa de vida do homem cresceu. Com isso governos tentam subir a idade mínima para aposentadoria. Vamos trabalhar mais?

- Filmes e músicas não serão mais comprados nem alugados. Viveremos à base do "on demand".

- A "Síndrome da Sobrecarga Cognitiva" pode vir a ser uma das principais razões de pedido de aposentadoria por questão de saúde.

- Todos terão seu próprio tablet, ou algo semelhante, para usar tanto na escola, no trabalho e em casa.

Estando certo ou não, o mais importante é ter consciência de que vivemos essa fase de transição; e somos responsáveis pela nova estrutura paradigmática que está em implantação. Convido-o a refletir um pouco sobre o seu papel, no meio disso tudo.



---
Crédito da imagem: Claudia Castro