Páginas

O tamanho da "mala-direta" importa?


Em março de 2010 escrevi um post com o título "Mala-direta já era". A ideia central era mostrar como as ações de comunicação dirigida já extrapolavam o formato tradicional da "mala-direta".

Um ano se passou e evoluímos cada vez mais no propósito de inovar e "chamar atenção" para a comunicação que é enviada para a casa das pessoas.

A Playarte, para divulgar o novo filme "Apollo 18" (estreia 02/09/11), encaminhou uma peça de comunicação dirigida que impacta antes mesmo de abrir o "pacote". Imagine chegar em casa e encontrar a seguinte "correspondência":



É claro que até o porteiro morreu de curiosidade para saber o que havia dentro dessa enorme caixa. Nas divulgações de filmes, é comum produzir camisetas do filme. Desta vez, a Playarte investiu um pouco mais:


Além da camiseta, havia dentro da caixa dois convites para assistir o filme, uma carta com mais detalhes sobre a campanha de divulgação, um pequeno pedaço de "pedra lunar" e um telescópio.

A carta conta que o filme "Apollo 18" traz trechos de "imagens reais" do programa espacial da Nasa. "Documentos reais" foram utilizados para compor o roteiro do filme. Dentro da caixa havia também uma cópia de um desses "documentos" que registra a interrupção do programa Apollo;  porém as razões do cancelamento estão encobertas.

Na carta, há um login e senha que dá acesso para uma área restrita do hotsite, contendo mais arquivos e vídeos, além de informações sobre as promoções que fazem parte dessa campanha de divulgação. Parece que vale a pena companhar, pois uma das promoções promete uma viagem para conhecer as instalações da Nasa!

Depois disso tudo, fica a expectativa de que o filme seja realmente tão bom e impactante quanto a ação de comunicação dirigida. Abaixo os dados que recebi para você também aproveitar o acesso restrito:

URL: www.apollo18.com.br
LOGIN: 7kha
Senha: pzr0nn