Páginas

Nabaztag inaugura novo modelo de interface


Podemos dizer que interface é tudo aquilo que nos conecta com o mundo digital. O monitor, o teclado e o mouse são interfaces que nos permitem interagir com o computador. Os softwares também possuem sua interface, mas esse assunto deixarei para outro post.

O Nabaztag é um aparelho que inaugura um novo modelo de interface, acompanhando a tendência do computador em sair do escritório e ganhar mais espaço dentro da nossa casa.

Por se tratar de uma interface lúdica e decorativa o Nabaztag tem o formato de um coelho com orelhas que se movimentam bem semelhante ao seu antecessor i-dog. Mas o Nabaztag é capaz de conectar-se à internet através de uma rede wi-fi e em sue site oficial pode ser programado para desempenhar diversas funções como:

- checar frequentemente sua caixa postal e avisar quando houver novas mensagens;
- receber e reproduzir em áudio mensagens encaminhadas por amigos;
- reproduzir músicas ou rádios on-line;
- informar o tempo e a hora;
- reproduzir em áudio as notícias redebidas por feed;
- etc.

Assim como os widgets ou gadgets do Windows Vista ou do iGoogle, há uma área de administração da conta de usuário no site do Nabaztag onde cada usuário seleciona o aplicativo que deseja ativar. São aplicações da própria empresa ou criados por terceiros, ou seja, parte do código é aberto a qualquer desenvolvedor, o que permite o surgimento de novos aplicativos com grande freqüência.


No site oficial do produto é possível conhecer todas as funções que ele pode desempenhar. Abaixo segue um vídeo demonstrando o produto. No vídeo o aparelho emite áudio em inglês, porém a Tectoy já vende no Brasil a versão em português. Veja aqui o link para o produto no Submarino.



O preço de lançamento no Brasil é de R$699,00. Espero que até o final do ano o preço esteja próximo de R$350,00, similar ao custo nos EUA.

É provável também que cada vez mais apareçam interfaces que possibilitem nossa interação com conteúdos da internet sem a necessidade de estarmos sentados à frente do computador.

créditos: tectoy, brammuller