Páginas

Adote um Cara: uma nova rede social para mulheres (e homens).


Ainda não consegui definir minha opinião para essa nova rede social que promete desembarcar no Brasil em breve. Trata-se de mais um desses sites de namoro porém, com uma proposta um tanto diferente.

A plataforma tem seu foco voltado para as mulheres que estão em busca de um novo relacionamento amoroso. Sabendo que em outras redes sociais as solteiras não costumam expor que estão "à procura" para evitar o assédio de mensagens; essa nova rede social utiliza uma linguagem bem humorada para colocar as mulheres em primeiro plano no processo de construção do novo relacionamento.

Na plataforma que leva o nome de "Adote um Cara", as mulheres possuem direitos superiores aos homens que por sua vez, são tratados como "mercadorias". São elas que iniciam a aproximação. Os homens não podem mandar mensagens para o perfil de uma mulher, a não ser que seja autorizado por ela.

A proposta como disse antes, é dar um tom de humor para a comunicação. Mas será que não acaba transparecendo um tom pejorativo, frio e "consumista" para o relacionamento amoroso? Estou curioso para ver como os brasileiros irão reagir quando a plataforma for lançada. Será que as brasileiras solteiras comprarão a ideia?

Em Paris houve até uma campanha de divulgação do site que colocou homens dentro de vitrines, expostos numa espécie de pop up store.



A aparência da plataforma é de uma loja online. As mulheres são as consumidoras e os homens, os produtos. Na França, a rede social Adopte un Mec faz sucesso e por isso, já ganhou versão da plataforma para iOS e Android. Também já foi exportada para Espanha, Itália e Polônia.

No Brasil deve chegar logo, mas ainda não tem data. Será que a proposta pega no Brasil? Estamos estimulando o discurso mercadológico e consumista das relações humanas?