Páginas

Amazon Kindle: ainda não foi desta vez

O amigo Lúcio Agra sugeriu um post sobre o Kindle, aparelho leitor de e-books lançado pela Amazon no final de 2007.

Parece que ainda não foi desta vez que os livros de papel ganharam um substituto. Os blogs Digital Drops e Meio Bit apresentaram diversos argumentos para justificar suas apostas no fracasso do Kindle.

Na minha opinião o que mais incomoda é pagar U$399 por um aparelho em que o sistema é fechado e permite apenas a leitura de arquivos de texto.

O iTouch da Apple custa atualmente US299 e pode carregar 8Gb de arquivos; seja texto, música ou vídeo. Quem sabe em breve a Apple lança no mercado um novo modelo com tela maior. Será o fim definitivo do Kindle.

Porém acredito que a substituição do suporte do livro só acontecerá quando encontrarmos um material tão prático e com custo/benefício semelhante ao papel. Em época de sustentabilidade bem que poderíamos inventar uma alternativa para a folha de papel. E muito provavelmente a primeira mídia a ganhar um novo suporte não será o livro, mas o jornal.

Diversas grandes empresas estão desenvolvendo telas flexíveis chamadas de e-paper. Em janeiro a LG, em conjunto com a Philips, anunciaram a criação de uma tela flexível que produz imagens com 14,3 polegadas (veja a notícia).

Em breve teremos uma espécie de tela maleável, leve, prática e que diariamente receberá por wi-fi as notícias do dia. Não será o fim do jornal ou do livro, muito pelo contrário: será um novo começo.