Páginas

#30Bienal: Arte como referência para publicidade


Fui lá conferir a montagem e os preparativos da 30ª Bienal de São Paulo. Há tempos não escrevia um post com alguma dica cultural.

A proposta deste blog é apresentar críticas, reflexões e referências sobre comunicação, publicidade e tecnologia; por isso aqui vai uma dica para quem é publicitário: não deixe de conferir a 30ª Bienal de São Paulo.

Arte sempre foi uma importante fonte de referência para a publicidade. A arte contemporânea, em especial, evidencia novas expressões de linguagens que ampliam nosso repertório. Para o criativo, uma visita à Bienal ajuda a refrescar seu repertório e referências visuais.


Este ano a Bienal abre ao público dia 07/setembro/2012 e fecha em 09/dezembro/2012. Serão mais de 100 artistas expondo as mais diferentes técnicas e linguagens artísticas. No total são mais de 3 mil obras espalhadas pela Bienal, ou seja, merece duas ou três visitas.

Pela primeira vez, algumas obras que fazem parte da  30ª Bienal estarão expostas fora do Pavilhão da Bienal no Parque Ibirapuera. No total serão 9 lugares que receberão obras de artistas selecionados pela 30ª Bienal. O MAB/FAAP é um destes espaço. Ele vai abrigar obras de três artistas: José Arnauld-Bello, Robert Smithson e Xu Bing.

Além das obras, a bienal apresenta ainda encontros, performances, debates e seminários que acontecem em diferentes espaços de São Paulo. A programação completa dos eventos está no site oficial: www.30bienal.org.br.


Redes Sociais:
Esta é também a primeira edição do evento em que as redes sociais foram estrategicamente utilizadas para promover o evento. Além dos canais oficias no Twitter, Facebook e Youtube, a comunicação do evento estimula os visitantes a utilizarem a hashtag #30bienal. Todo o material coletado a partir dessa hashtag é exposto numa espécie de timeline que aparece no rodapé da página de entrada do site oficial: www.30bienal.org.br.




Abaixo algumas fotos da montagem para mostrar um pouco do que você verá por lá:







Ao fundo (de amarelo) Tobi Maier, um dos curadores-associados.

Bailarinos ensaiando a performance para a obra da artista Simone Forti.