Páginas

A nova roupagem do "viralzinho"

O formato "Viral do Youtube", talvez tenha sido o primeiro modelo que fez surgir a noção de "mídias sociais" na publicidade.

Como a velocidade de atualização do mundo é extremamente rápida, esse formato já não gera o mesmo impacto nas pessoas como há 2 anos atrás. Muitos já se cansaram de espalhar por aí aquele vídeo-amador-do-youtube. Além disso, o consumidor adquiriu um know-how capaz de identificar "falsos vídeos amadores", criados por agências para ações de branding, e eles já não são mais espalhados com tanta espontaneidade.

Se você olhar ao redor, vai notar que por conta disso o que vemos acontecer é uma nova fase desses "virais". Migramos do "amadorismo" para a "supremacia profissional". Algumas marcas resolveram apostar no aposto completo do amadorismo e estão obtendo bons resultados.

Ao invés de vídeos caseiros, marcas realizam agora produções cinematográficas para publicação na web.

Essa proposta tem inspiração em um case de sucesso de branded content, em que a BMW produziu uma série de curtas-metragem (The Hire) em 2001/2002.

A NIKE é uma marca que apostou muito nesse modelo. Recentemente ela diminuiu bastante seus investimentos em televisão; e concentrou nas super-produções para web. Em seu canal no Youtube é possível encontrar muitos bons exemplos.


Para fechar o post vai outro exemplo, trata-se de um dos episódios de uma série da Adidas que faz referência ao filme "Star Wars":