Páginas

Pit-Stop no Pacaembu

A Shell repete mais uma vez a ação de marketing premiada em 2005, na qual uma equipe de promotores simulam um pit-stop de Fórmula 1, nos semáforos de São Paulo. A ação ocorre dias antes da abertura do Grande Prêmio do Brasil de 2006.

No semáforo em frente ao estádio do Pacaembu, uma equipe, composta por cerca de 7 pessoas, vestidas com macacão e capacete vermelhos, iniciam uma encenação logo que o sinal fecha. Com os carros parados, um dos moços mais afoitos do grupo avançou sobre a faixa de pedestre com uma placa à mão: Pit-Stop!!! À medida que os motoristas perplexos
encaravam o rapaz, o restante do grupo, com determinação, corriam ao redor de um veículo a fim de simular uma daquelas trocas de pneus e abastecimento tão conhecidas de quem vê televisão aos domingos. O curioso é que a cena era repetida, pelo menos, 4 vezes. Em menos de 20 segundos, um dos veículos parados diante do sinal tornava-se alvo dos mecânicos imaginários. Todavia, o clímax ocorria quando uma moça, de cabelo esvoaçante e olhar determinado, lança mão no vazio e entrega para o motorista um folheto redentor: "Abasteça e Participe" da promoção dos postos Shell.

Em tempos de violência urbana, um motorista mais desavisado, ao ver um grupo de pessoas com capacete, correndo ao redor do carro ao seu lado, pode confundir a cena com um assalto em ocorrência. Porém, após compreender a proposta da ação de marketing, passa a ficar ansioso pela chegada da equipe e adianta-se em abrir o vidro para receber o copo d'água da moça. O mais inusitado acontece no fim da encenação, quando o sinal abre e todos os pilotos saem em disparada, envolto pelo universo da Fórmula 1.

OBS: Post escrito com a colaboração do amigo João Guedes, que não presenciou, mas imaginou maravilhosamente a cena.